Caminho Nascente

Beja < > Cuba

Etapa 6

Planície pura, dura, sem sombras, alguns cavalos a pastar, mais oliveiras alinhadas e uns poucos aviões a descolar do aeródromo, que quer ser aeroporto internacional. Beja serve de ponto de partida para mais uma etapa, que termina em Cuba, vila com vários atrativos. Desde logo, no largo onde se situa o Turismo, descobrimos a controversa estátua de Cristóvão Colombo, da autoria do escultor Alberto Trindade, inaugurada em 2006 e que pesa uma tonelada e meia. Segundo uma investigação histórica, Cuba foi local de nascimento e batismo de Salvador Fernandes Zarco, filho ilegítimo de um nobre de Beja, e que terá adotado o nome espanhol de Cristóvão Colon para servir, a mando do rei português, como espião na corte espanhola. O enredo – descrito em exposição patente no posto de Turismo – é complexo mas verosímil, e explica, entre outras “coincidências”, porque é que o famoso descobridor terá dado o nome de Cuba à ilha em que aportou nas Caraíbas, para além de outros nomes de origem alentejana que utilizou em outros “baptismos”.

Outros encantos tem Cuba, como o chafariz e lavadouro público, construído no século XX, que serviu quem chegava a Cuba vindo de Beja, instituindo-se mesmo como um complexo social de grande importância.

A atual configuração do chafariz data de 1923, conforme inscrição na empena, única parcela mais monumental, marcada por três aberturas, a central mais ampla e enquadrando quatro bicas em forma de leão. O lavadouro situa-se por trás do chafariz e anexo à mãe de água.

A chegar a Cuba

A chegar a Cuba

Igreja de São Matias

Igreja de São Vicente 
A igreja foi construída no século XVI e recebeu obras de ampliação no século XIX, época a que corresponde a galilé flanqueada por duas torres da fachada principal. É um templo de nave única, servido por capela-mor com retábulo ainda maneirista que integra duas colunas de talha dourada e a restante ornamentação de carácter popular. A pia batismal ostenta inscrição com o ano 1701, provavelmente a data em que finalizaram as obras de reforma do monumento.

Fundada provavelmente no século XVI, o essencial da Quinta e capela de São Pedro data da centúria seguinte, época em que a capela se transformou num destino de romaria local. O aspeto tardo-barroco da fachada principal foi conferido numa campanha de obras realizada por volta de 1804. É um edifício de assinalável impacto cenográfico, com frontaria antecedida por galilé e flanqueada por duas torres esguias. Anexas à igreja existem casas para os romeiros.

De origem medieval, a igreja foi totalmente reformulada a partir de 1572, ano em que o Mosteiro de São Vicente de Fora, em Lisboa, assinou contrato com o mestre pedreiro Manuel Gonçalves. O resultado foi um templo majestoso, de grandes dimensões, com fachada principal ladeada por duas grandiosas torres escalonadas. O interior é de nave única abobadada, reforçada por contrafortes, e profusamente decorado com azulejaria polícroma datada de 1665. O retábulo-mor é já da primeira metade do século XVIII, com acrescentos rococó. Em 2003, a sacristia foi transformada em espaço museológico para albergar o tesouro da igreja.

Ponte Romana Vila Ruiva

Ponte Romana Vila Ruiva
Situada na antiga via romana Ebora a Pax Julia, que passava por Vila Ruiva e sobre o leito da ribeira de Odivelas, a ponte encontra-se a cerca de 3 km da povoação. Assente em pegões de granito e arcaria de tijolo, que parece solto, embora seja da época romana, terá sofrido reconstruções visigóticas e árabes. É constituída por 26 arcos, intervalados por olhais de volta perfeita, e tem 120 metros de comprimento, sendo a sua largura máxima de 5 metros.

e também…

Feirinha Gastronómica de Vila Alva + Festas em Honra de N.ª Sr.ª da Rocha (Cuba) + Festas em Honra de Sta. Maria (Vila Ruiva) + Festas em Honra de S. Luís (Faro do Alentejo) − Agosto

Feira Anual de Cuba − Setembro

Represa Romana

Perto do entroncamento entre as estradas de Cuba/ Vila Alva/Vila Ruiva, à esquerda de quem segue para Vila Alva a poucos metros da ermida, hoje chamada Nossa Senhora da Represa, aparece um grosso paredão, em opus incertum com a orientação leste-oeste. A tradição popular julga os alicerces de uma grande igreja que teria sido construída em honra de Nossa Senhora da Represa, obra nunca concluída pela preferência que a imagem da Senhora teria demonstrado pela igreja de S. Caetano, erguida a poucos metros.

Tivemos tempo de explorar Beja, pelo que podemos iniciar a nossa jornada logo à saída da cidade, atravessando a linha ferroviária na abertura da vedação junto à Rua da Lavoura. A partir daí, seguimos pelas típicas ruelas de pedra e passamos pelo Arco da Porta de Avis. Como curiosidade, as pedras do arco da porta foram perdidas após a sua demolição, em 1893, para serem encontradas 40 anos mais tarde, na função de mesas da peixaria do mercado local.

Orientados pelos azulejos afixados nas paredes dos prédios, dirigimo-nos até ao ponto de travessia do “caminho de ferro” já atrás referido. Daqui seguimos, à esquerda, em estrada asfaltada, na direção da aldeia de São Matias, longe de 6 km, quase em linha reta. Pelo caminho, o alcatrão dá lugar à terra batida que calcorreamos até chegar a um cruzamento onde escolhemos virar à esquerda.

Avistamos as primeiras casas da aldeia de São Matias, onde entramos pela Rua Alferes Borges dos Reis, depois de atravessada a estrada nacional N18. Estamos sensivelmente a meio do percurso, pelo que lhe sugerimos uma pausa para almoço no único restaurante local à beira da estrada. Junto ao Largo da Igreja, podemos visitar a Igreja de São Matias, construída no século XVI, com duas colunas de talha dourada e um retábulo de caráter popular.

Partimos da aldeia pela estrada rural que conflui ao largo, a norte, no sentido de Cuba. Chegamos a Cuba atravessando o Bairro Novo da Bica e a ampla rotunda, seguindo para a Rua 1.º de Maio. 250 m à frente, viramos à direita para a Rua de Serpa Pinto, e apressamo-nos, em frente, até chegarmos ao posto de Turismo no Largo Cristovão Colon.

Distância 20 km


Altitude máxima 284 m


Altitude mínima x


Subida acumulada 145 m


Descida acumulada -249 m


Duração 4h45m


Dificuldade (0-5) 2

Etapa 6_Nascente

Viemos rápido para chegar a tempo de fazer uma visita ao mais famoso sapateiro artesanal do Alentejo, o carismático Mário Grilo, e tirar o molde ao pé para as nossas próximas genuínas botas alentejanas!

Em Cuba, demoramo-nos ainda a fazer a imperdível Rota das Tabernas, entrando e saindo de antigas e tradicionais tabernas entre dois dedos de conversa, petiscos regionais e sucessivos “copos de três”…

Dicas

Leve sempre água, mantimentos,protetor solar, chapéu, impermeável, calçado confortável e um mapa.

Apoio

 CTT

 Banco / ATM

 Posto de Turismo
+351 284 419 903/+351 963 709 475

Táxi Manuel José Quaresma Esteves
+351 966 144 656/+351 284 412 295

Entidades Municipais

 Câmara Municipal de Cuba
+351 284 419 900

 Junta de Freguesia de Vila Ruiva
+351 284 495 178

Saúde

 Centro Saúde de Cuba
+351 284 419 080

 Farmácia

Pontos de Interesse

 Casa do escritor Fialho de Almeida

 Museu António Bicho, conhecido como “Museu Caluta”

 Museu do Tesouro da Igreja Matriz de S.Vicente de Cuba

 Igreja Matriz de S. Vicente Cuba

 Igreja e Recolhimento do Carmo

 Igreja de S. Pedro

 Igreja Nossa Senhora da Conceição da Rocha

 Igreja São Sebastião

 Igreja Matriz de S. Luís de Faro do Alentejo

 Igreja Matriz de Nossa Senhora da Encarnação

 Igreja da Nossa Senhora da Visitação ou Nossa Senhora do Outeiro

 Igreja da Misericórdia − Vila Alva

 Capela Nosso Senhor dos Passos – Vila Alva

 Ermida de Papa São Sixto

 Ermida da Nossa Senhora da Represa

 Ermida Santo António

 Quinta da Esperança ou Quinta do Conde

 Eco – Palacete Relógio Borralho

 Antas − Vila Alva

 Ponte Romana

 Barragem de Albergaria dos Fusos

CONTACTOS ÚTEIS

Emergência: 112
Incêndios Florestais: 117
GNR Cuba: +351 284249217

CÓDIGO DE CONDUTA

Não saia do percurso marcado e sinalizado. Não se aproxime de precipícios. Preste atenção às marcações. Não deite lixo orgânico ou inorgânico durante o percurso, leve um saco para esse efeito. Se vir lixo, recolha-o, ajude-nos a manter os Caminhos limpos. Cuidado com o gado, não incomode os animais. Deixe a Natureza intacta. Não recolha plantas, animais ou rochas. Evite fazer ruído. Respeite a propriedade privada, feche portões e cancelas. Não faça lume e tenha cuidado com os cigarros. Não vandalize a sinalização dos Caminhos.