Caminho Nascente

Alcoutim (Algarve) < > Mesquita

Etapa 1

Provenientes de Alcoutim, “navegamos” o Guadiana sempre ao longo da margem portuguesa, seguindo a sinalização da rota GR15, até chegarmos à ribeira do Vascão, já com a fadiga acumulada de alguns quilómetros pela serra algarvia. A passagem da ribeira do Vascão faz-se na zona assinalada, assumindo que o nível das águas está raso, como acontece quase sempre, com exceção feita a períodos de grandes chuvadas.

Ponte sobre a ribeira do rio Vascão

A ribeira do Vascão é um afluente do rio Guadiana e é um dos poucos cursos de água ainda praticamente selvagens do sul do país. Percorre cerca de 70 kms, em terreno xistoso, desde o Cerro do Zebro, a mais de 500 m de altitude, e a foz do Guadiana, a 10 m de altitude. É possível que o nome provenha da palavra árabe basqa, que significa “zona pedregosa”.

Mesquita

Localizada num ponto estratégico, uma via natural de acesso ao rio Guadiana, era na localidade de Mesquita que o rio tinha uma das principais barreiras naturais aos barcos de maior porte que nessa altura atracavam no porto local e faziam as suas trocas comerciais. Era aqui que se encontravam diferentes gentes e diferentes produtos, tornando o rio da altura uma grande autoestrada de tráfego comercial.

Ermida de Nossa Senhora das Neves

Ermida de Nossa Senhora das Neves
Na localidade da Mesquita, concelho de Mértola, ergue-se uma ermida no cimo de um monte cuja construção remonta ao período da pré-reconquista. A partir dos séculos VIII-IX denotamse os primeiros sinais de sacralização. Através de uma coluna de mármore existente no local podemos observar a data da sua construção. Apesar da sua sacralização, existem vestígios arqueológicos no campo arqueológico de Mértola que apontam que este lugar teria sido também mesquita na altura paleocristã. As primeiras informações datam de 1515, por um visitador da Ordem de Santiago. Esta igreja, que tinha alguma importância ao nível do seu espólio, ficou por se conhecer até aos dias de hoje. Sabe-se pela sua descrição que se contavam três altares, um dedicado a S. Bento, outro dedicado a S. Bartolomeu e o altar-mor dedicado a Nossa Senhora das Flores, a padroeira da ermida. Mais tarde, esta igreja seria consagrada a Nossa Senhora das Neves, e ainda hoje podemos observar a sua imagem no centro do altar-mor, datada do século XVIII.

Já do lado do Alentejo, somos brindados com uma subida bastante inclinada, imprescindível para vencer o profundo vale da ribeira, até atingirmos o planalto e nos determos aí a observar uma lindíssima panorâmica de 360º, abrangendo a paisagem ondulante de colinas sucessivas que se espraiam a perder de vista.

O trilho até à aldeia da Mesquita segue por meio de campos multicolores, ladeados por antigos muros e cercas circulares em pedra que testemunham a atividade da pastorícia ou de antigas ocupações indeterminadas. Estamos no extremo sudoeste do território, em zona erma onde ainda hoje pouco se sabe sobre a história da respetiva ocupação humana.

Cerca de 2 km depois, vislumbramos a Ermida de Nossa Senhora das Neves num pequeno cume à direita e, logo depois, a antiga e genuína aldeia da Mesquita. Nesta pitoresca aldeia, as poucas dezenas de residentes, unidos em redor de um projeto de interesse comum, assumiram o desafio da recuperação de diversas casas e estabelecimentos, com o único objetivo de providenciarem apoio e guarida aos futuros viajantes no Caminho de Santiago.

Distância 2,3 km


Altitude máxima 136 km


Altitude mínima x


Subida acumulada 168 km


Descida acumulada -35,3 km


Duração 0h30m


Dificuldade (0-5) 2

Mesquita é, no Caminho de Santiago Nascente do Alentejo, o exemplo emblemático da força e da esperança que o Caminho de Santiago é capaz de incutir nas populações, retirando-as do isolamento e fomentando o desenvolvimento local. Quando chegar à nova taberna do largo da vila (que deverá estar já em funcionamento), ou ao edifício da Sociedade Recreativa Mesquitense, brinde à saúde dessa pequena comunidade que se juntou e trabalhou para o seu conforto e apoio no Caminho. Bem hajam!

Dicas

Leve sempre água, mantimentos,protetor solar, chapéu, impermeável, calçado confortável e um mapa.

Onde Dormir

 Albergue Nossa Senhora das Neves
+351 964 879 133

CAFÉ

 Snack Bar Valadas

Entidades Municipais

 Câmara Municipal de Mértola
+351 286 610 109

 Junta de Freguesia de Espírito Santo
+351 286 675 250

APOIO

 Táxis

 Balneários de Apoio ao Peregrino
+351 964 879 133

 Zona de Acampamento
+351 964 879 133

Pontos de Interesse

CONTACTOS ÚTEIS

Emergência: 112
Incêndios Florestais: 117
Bombeiro Voluntários de Mértola: +351 286 610 010
Guarda Nacional Republicana: +351 286 612 127
Proteção Civil de Mértola: +351 286 610 100

CÓDIGO DE CONDUTA

Não saia do percurso marcado e sinalizado. Não se aproxime de precipícios. Preste atenção às marcações. Não deite lixo orgânico ou inorgânico durante o percurso, leve um saco para esse efeito. Se vir lixo, recolha-o, ajude-nos a manter os Caminhos limpos. Cuidado com o gado, não incomode os animais. Deixe a Natureza intacta. Não recolha plantas, animais ou rochas. Evite fazer ruído. Respeite a propriedade privada, feche portões e cancelas. Não faça lume e tenha cuidado com os cigarros. Não vandalize a sinalização dos Caminhos.