Caminho Central

Castro Verde < > Messejana

Etapa 4

“Alentejo, Alentejo, Vastidão de Portugal, Futuro, continental! Terra lavrada, que vejo, a ser mar mas sem ter sal”, escrevia Miguel Torga num dos seus poemas da Ode ao Alentejo. Este “mar” pode bem ser o imenso território denominado “Campo Branco”, dito “de Ourique” nos séculos XVI e XVII, quando eram o destino para as pastagens de inverno dos grandes rebanhos vindos da serra da Estrela, tendo, por isso, o fenómeno da transumância marcado fortemente o concelho. Esta região é a mais importante zona de estepe cerealífera de Portugal, resultante do cultivo extensivo de cereais, e dela depende a existência de muitas espécies de aves com estatuto de conservação desfavorável, em particular a abetarda, a mais pesada ave do continente europeu, para cuja observação, especialmente nos meses de março e abril, se deslocam todos os anos milhares de pessoas ao Centro de Educação Ambiental de Vale Gonçalinho, uma herdade adquirida pela ONG Liga para a Proteção da Natureza.

Messejana é o nosso destino. Nela encontramos as ruínas de um castelo, que evocam a importância deste antigo concelho medieval, que foi sede de comenda da Ordem de Santiago desde, pelo menos, o reinado de D. Dinis. A localidade tem origem na palavra árabe masjanâ, que significa cárcere ou prisão.

Ao reduto fortificado edificado pelos muçulmanos sucedeu um castelo gótico cristão, que terá sido edificado ao redor de 1288. A vila havia sido conquistada pelas tropas de D. Sancho II em 1235. Localizada no ponto mais elevado da vila, desta antiga fortaleza resta apenas parte da torre que defendia o acesso ao recinto.

Implantada na encosta do castelo, hoje em posição ligeiramente periférica em relação à vila, a atual configuração da igreja de Nossa Senhora dos Remédios data de uma ampla reforma do século XVIII. Apesar de discreta, é uma igreja compacta e vertical, digna de uma sede de comenda santiaguista do sul do país. Contraposta ao arruinado núcleo medieval, a Praça 1.º de Julho concentra os principais edifícios da vila. O pelourinho ilustra a relevância da localidade no século xvi, altura em que foi agraciada com foral novo dado por D. Manuel I em 1512. A igreja da Misericórdia foi edificada em 1570, e no seu interior subsiste uma pintura maneirista que representa o Pentecostes, momento em que os apóstolos passaram a ter a capacidade para falar as várias línguas da Terra, conhecimento essencial às pregações que posteriormente empreenderam. A torre do relógio está adossada à antiga Casa da Câmara e, durante séculos, marcou com o som do seu sino o quotidiano dos habitantes locais.

Antigo Castelo de Messejana

Antigo Castelo de Messejana

Vista Messejana

Vista Messejana

Messejana

Messejana

e também...

Feira Anual − Junho

Festa de Nossa Senhora da Assunção − Agosto

Museu Etnográfico de Messejana

Localizado num dos edifícios mais antigos de Messejana, no centro histórico da vila, é um espaço que pode considerar-se a sala de visitas da terra. Possui 12 divisões onde se reproduzem uma antiga venda, uma sala de aula, várias dependências das casas típicas alentejanas, das mais modestas às mais abastadas, ou ainda onde se expõem objetos como os cântaros de Francisco Bartolomeu, o último aguadeiro de Messejana.

Museu Etnográfico de Messejana

Museu Etnográfico de Messejana

etapa 4 - central

Saímos de Castro Verde para outra extensa etapa, ao longo de 29 km, até Messejana, atravessando inicialmente o Campo Branco através de sucessivas herdades votadas à criação de gado bovino. Nesta altura, ou mesmo antes, convém telefonar para a única unidade de alojamento existente em Messejana, ou para a Junta de Freguesia, para assegurar local de pernoita, sempre difícil de obter devido à procura pelos trabalhadores das minas de Aljustrel.

Passamos a aldeia de Almeirim e percorremos cerca de 1 km em estrada antes de virarmos para caminho em terra batida, à esquerda, onde a tabuleta indica a Herdade de S. Miguel. Antes disso, passamos também um portão verde que dá acesso ao caminho que leva à Fonte dos Milagres, cujas águas, de utilização pública, estão creditadas com benefícios excecionais. Rodeamos a herdade, com passagem junto a uma barragem rural e entramos em Casével, passando a rotunda que ostenta uma original escultura metálica de homenagem ao Cante Alentejano, e virando à direita para a Rua de Castro Verde. Não perdemos a oportunidade de conhecer a igreja matriz, construída sobre outro templo mais antigo. Aqui, foi encontrada uma estranha relíquia de prata, representando uma cabeça à escala humana, mas que levava dentro, colado ao interior da prata, um autêntico crânio humano. Na altura, as gentes locais relembraram as memórias ancestrais e não tiveram dúvidas de que se tratava da cabeça santa de São Fabião, o Papa martirizado no século iii pelo Império de Roma, que durante séculos se manteve na igreja de Casével e que era venerada pelos poderes que se lhe atribuíam na proteção do gado.

Distância 29 km


Altitude máxima 256 m


Altitude mínima x


Subida acumulada 382 m


Descida acumulada -430 m


Duração 8h30m


Dificuldade (0-5) 4

etapa 4 -central

Após o almoço, prosseguimos viagem em direção à antiga estação ferroviária de Casével, por estrada rural praticamente deserta. Daqui em diante são 10 km de caminhos rurais até Messejana, quase sempre entre cercas de propriedades, sem histórias de maior relevância. A determinada altura vamos encontrar a estrada nacional 263 mas, de imediato, fazemos a inflexão à esquerda no sentido do Monte das Muralhas, passando todas as portadas que se nos interpõem. Finalmente, atravessamos um viaduto sobre a autoestrada e avistamos a vila de Messejana.

Chegamos ao largo do centro e somos recebidos pela igreja da Misericórdia, uma de 11 igrejas que a vila chegou a ter, com a Praça de Touros à direita, por detrás do casario, onde a tourada era tradição já em 1573, quando D. Sebastião aqui esteve, realizando-se três touradas em quatro dias. Lá no topo persiste a igreja matriz e as ruínas do castelo, erguido em 1288, mas agora já só com vestígios de uma parede da torre. É tempo de nos dirigirmos à Junta de Freguesia, também no largo central, para sabermos o que Messejana nos reserva.

Dicas

Leve sempre água, mantimentos,protetor solar, chapéu, impermeável, calçado confortável e um mapa.

ONDE DORMIR

 Quinta da Cerca +351 936 119 626

 Casa das Romãs +351 932 950 028

Saúde

 Extensão de Saúde Messejana (CS Aljustrel)
+351 284 655 147

 Farmácia

Entidades Municipais

 Junta de Freguesia de Messejana
+351 284 655 148

 Câmara Municipal de Aljustrel
+351 284 600 070

APOIO

 MB

 CTT Messejana

 Supermercado

Pontos de Interesse

 Ermida de Nossa Senhora da Assunção

 Igreja Matriz (de Sta. Maria)

 Igreja da Misericórdia

 Pelourinho da Vila

 Antigo solar da família Velho da Costa

 Antigo Castelo Messejana

 Antigo solar da família Velho da Costa

 Museu Etnográfico de Messejana

CONTACTOS ÚTEIS

Emergência: 112
Incêndios Florestais: 117
Bombeiros Voluntários de Aljustrel:+351 284 600 130
GNR – Posto Territorial de Aljustrel:+351 284 600 010

CÓDIGO DE CONDUTA

Não saia do percurso marcado e sinalizado. Não se aproxime de precipícios. Preste atenção às marcações. Não deite lixo orgânico ou inorgânico durante o percurso, leve um saco para esse efeito. Se vir lixo, recolha-o, ajude-nos a manter os Caminhos limpos. Cuidado com o gado, não incomode os animais. Deixe a Natureza intacta. Não recolha plantas, animais ou rochas. Evite fazer ruído. Respeite a propriedade privada, feche portões e cancelas. Não faça lume e tenha cuidado com os cigarros. Não vandalize a sinalização dos Caminhos.